sábado, 5 de maio de 2018

Rússia buscando caminhos



Centenas são presos na Rússia em atos anti-Putin
Entre os detidos está Alexei Navalny, principal líder da oposição. Manifestações em diversas cidades do país foram convocadas às vésperas de presidente russo assumir seu quarto mandato.






 Alexei Navalny é carregado por policiais durante protesto em Moscou

Mais de mil pessoas foram detidas neste sábado (05/05) em protestos contra o presidente Vladimir Putin, realizados em diversas cidades da Rússia, segundo números de um grupo independente de monitoramento. Entre os detidos está o principal líder da oposição, Alexei Navalny.

O protesto nacional, organizado sob o lema "Ele não é o nosso czar", foi convocado por Navalny, que foi impedido de se candidatar na eleição presidencial de março devido a uma condenação judicial. As manifestações acontecem a dois dias da data em que Putin toma posse para um quarto mandato presidencial de seis anos, nesta segunda-feira.

Navalny foi preso em Moscou, juntamente com seu aliado Nikolai Lyaskin e vários de seus simpatizantes. Imagens da detenção, divulgadas na internet, mostram cinco policiais levando o oposicionista para uma van, o carregando pelos braços e pernas.

Antes de ser detido, o líder oposicionista – já preso anteriormente por organizar protestos semelhantes – conseguiu falar brevemente a milhares de manifestantes, reunidos na praça Pushkin, no centro de Moscou.

Repórteres da agência de notícias Reuters viram tropas de choque deter sistematicamente vários manifestantes em Moscou, alguns deles de forma ríspida, antes de colocá-los em ônibus. Em São Petersburgo, centenas de manifestantes foram impedidos de chegar à praça central da cidade.

Segundo a oposição russa e observadores independentes, dezenas de manifestantes foram detidos em concentrações anti-Putin registradas em outras zonas da Rússia. O OVD-Info, grupo independente de monitoramento à repressão política na Rússia, afirmou que foram mais de mil detenções. Outras fontes, ligadas a grupos de direitos humanos, falaram em quase 600 detidos.

As agências internacionais também relataram ter ocorrido confrontos em Moscou entre simpatizantes de Navalny e ativistas pró-Kremlin.

Nas eleições presidenciais russas, realizadas em 18 de março, Putin foi reeleito com 76,67% dos votos.
MD/lusa/afp/rtr
___________
A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos